top of page
ALIENAÇÃO-PARENTAL-1649269061.jpg

alienação parental explicada

Técnicas de alienação parental

Atualizado: 17 de dez. de 2022

Neste blog, olhamos para as técnicas de alienação parental usadas para alienadores enfim de alcançar o seu objetivo: a eliminação do parente alienado da vida dos seus filhos.


Cada alienadora usa suas próprias táticas enfim de poder afastar os seus filhos do ex-parceiro (ou avôs, ou ...) Aonde as alienadoras provavelmente acham que estão os primeiros a elaborar uma certa tática, na realidade a maioria acaba fazendo as mesmas coisas.



Técnicas de alienação parental seguinte a lei:


I - realizar campanha de desqualificação da conduta do genitor no exercício da paternidade ou maternidade;

Enfim de poder comprovar que o parente alienado está merecendo o tratamento no qual a alienadora está submetendo o alienado, uma campanha de desqualificação está sendo feito. O parente alienado está sendo descrita como se fosse o pior monstro que existe. Alguns exemplos podem ser

- Alegações que o parente alienado não paga pensão, ou que o valor da pensão está muito baixo, enquanto o oposto está se acontecendo.

- Mandar as crianças com roupas sujos ou estragadas pela casa do parente alienado, alegando que "só voltam com roupas furadas" pela casa da alienadora, assim dando a impressão que o alienado não cuida dos seus filhos.


II - dificultar o exercício da autoridade parental;


Qualquer fala do parente alienado está sendo questionada pela alienadora, e qualquer decisão sendo julgada como mal ou pelo mínimo inadequada. Ouvindo a repetição continuo que as ações do parente alienado não prestam, uma criança começa acreditar as acusações como verdadeiras, em uma verdadeira lavagem cerebral. Enquanto a criança fica com o parente alienado, ele ou ela aprendera a desconfiar os seus decisões. Elogiando a desconfiança da criança, a alienadora forçara o comportamento do seu filho pela rejeição do parente alienado. A criança começara a resistir tudo e qualquer decisão que o parente alienado faz, resultando em discussões frequentes e um convívio muito conflituoso com o parente alienado.


III - dificultar contato de criança ou adolescente com genitor;

A alienadora pode

- levar o filho por um passeio, sem nem avisar o parente alienado, que fica em frente de uma porta fechada.

- mandar um lugar ou data/horário errada pelo alienado para buscar os seus filhos.


IV - dificultar o exercício do direito regulamentado de convivência familiar;

Dificultar o direito de convivência familiar pode ser feito em várias formas. A alienadora pode

- desrespeitar o direito de visitas e levar a criança para fazer outras atividades, geralmente o tipo que eles gostariam muito em fazer.

- desrespeitar o horário da troca das crianças. Por exemplo liberando as crianças com pelo mínimo meia hora de atraso ou devolvendo eles com atraso.

- deliberadamente planejar atividades quais impedem a visita em datas marcantes, tal como natal e os aniversários de tanto o parente alienado, tanta da criança.


V - omitir deliberadamente a genitor informações pessoais relevantes sobre a criança ou adolescente, inclusive escolares, médicas e alterações de endereço;

Quando minha alienadora se mudou por uma outra cidade, ela recusou a falar aonde meus filhos frequentavam a escola, alegando que "você não preciso saber". Como tinha apenas aulas online durante a pandemia, eu conseguiu apenas adivinhar aonde a escola dos meus filhos podia ser.


VI - apresentar falsa denúncia contra genitor, contra familiares deste ou contra avós, para obstar ou dificultar a convivência deles com a criança ou adolescente;

Geralmente essas acusações vem gradualmente, em uma tentativa de afastar o parente alienado dos seus filhos. Eles começam dentro da família e amigos da alienadora. Com a briga sempre aumentando e as mentiras gradualmente caindo por chão as acusações começam ficar mais sérios. Um pequeno lesão no filho está sendo usado como prova de agressão física. Um fala mais alto se torna em abuso psicológico e lavar o filho vira abuso sexual.

Pensando corretamente que nenhum juiz ia deixar um pedófilo ou homem violento ficar com os seus filhos, a alienadora faz acusação de violência sexual contra o parente alienado. Muitos juízes acabam afastando as crianças, e quanto a verdade está surgindo, a batalha pelo contato com os filhos está sendo perdida. Nos estados unidos, 2% à 10% de todas as acusações de violência sexual acabam sendo falsas, dependendo da fonte. Um excelente artigo sobre a acusação falsa de violência sexual em casos de alienação parental pode ser encontrada aqui:


VII - mudar o domicílio para local distante, sem justificativa, visando a dificultar a convivência da criança ou adolescente com o outro genitor, com familiares deste ou com avós.

A grande problema na mudança do domicílio está no fato que o direito de ir e vir está sendo garantida na constituição Brasileira. Como está relativamente fácil de obter uma declaração do empregador que uma mudança foi necessário por causa do trabalho, um juiz raramente impedira a mudança de uma alienadora. O juiz pode reverter a obrigação de trazer e buscar as crianças pela alienadora, porém se viver em um outro estado do que o parente alienado, de fato as visitas conseguem se acontecer apenas durante as férias e assim a alienadora conseguira o seu objetivo.


Outras técnicas de alienação parental

Claro que há inúmeros técnicas quais não foram mencionadas dentro da lei. Algumas outras a gente descreve aqui por baixo:


Implantação de falsas memórias

A mais que alguma coisa está sendo repetida, a mais credível que parece. Essa técnica está sendo utilizada por muito tempo já no mundo política, e também por alienadores. Porém como uma pessoa pode acreditar tão forte em uma mentira? Isso é impossível! Napoleão disse que "a história é um conjunto de mentiras acordadas" Com o passar do tempo, nossas memórias desaparecem. Não sempre está mais possível de se lembrar de todas as detalhas. Uma alienadora usa este fato para influenciar a memória de uma criança, ou até a própria memória. Pouco à pouco uma outra verdade está sendo introduzida até que a criança ter assimilada essa mentira como se fosse a única verdade. Se precisa um juiz ou assistente social muito competente para poder separar a mentira da verdade, pois como a criança aceitou a mentira como se fosse verdade, ela está convencida do que fala. Há muitos casos conhecidas de crianças que até denunciavam o própria pai alienada de agressão sexual enquanto nada tinha se acontecida.

Em um exemplo real, o pai das crianças foi agredida fisicamente pelo advogado da mãe alienadora na presença dos seus filhos. Ao voltar para a casa da mãe, ela acolheu seus filhos com amor, pedindo eles de relatar como havia sida a estadia com o pai. Quando as crianças começavam relatar sobre o acontecido, a mãe começou a questionar as vivências enquanto ela induzia uma outra versão dos fatos , no qual a culpa da agressão foi colocada com o pai. Em momento alguma a mãe falou abertamente que o pai fez errada, porém ela deixou os seus filhos chegarem a essa conclusão por si mesmo. Ao voltar pelo pai, as crianças relatavam sobre os fatos como se o pai estivesse culpado.


Lavagem cerebral

A lavagem cerebral consiste em implantar a vontade de alguém em outras pessoas, sem que eles percebem. Os exemplos foram traduzidas do Inglês do artigo "8 técnicas de lavagem cerebral" por Janey Davies e depois adaptadas por este blog.

- Isolamento: A primeira tática na lavagem cerebral está de isolar a vítima do parente alienado e todos as pessoas quais se associam com ele ou ela. Familiares, amigos, conhecidos, ... A razão pelo isolamento está que a vítima teria apenas a alienadora para falar e obter informações e ideias. Não há o perigo de um terceiro interferir e questionar as suas ações.

- Ataques no autoestima: Agora que a vítima foi isolada, ela deve ser quebrada para que a manipulação pode reconstruí-la na imagem desejada. Uma pessoa só pode sofrer lavagem cerebral se seu manipulador estiver em uma posição superior a ela. Crianças estão mais susceptíveis a lavagem cerebral pois sempre estão abaixo dos seus parentes. Esses ataques podem ser na forma de ridicularização, zombaria ou intimidação da vítima.

- abuso mental: Outra maneira de um manipulador tentar fazer uma lavagem cerebral em suas vítimas é torturá-las mentalmente. Eles podem contar mentiras às vítimas e depois envergonhá-las com a verdade na frente dos outros, ou podem intimidar suas vítimas, importunando-as e não permitindo nenhum espaço pessoal.

- abuso físico: Isso inclui privar alguém do sono, mantê-lo com frio e com fome, lesões corporais reais por meio de comportamento violento. Existem também outras maneiras mais sutis que um manipulador pode usar, como manter os níveis de ruído altos, ter luzes que acendem e apagam o tempo todo e abaixar ou aumentar a temperatura na sala.

- nós contra eles: Novamente, trata-se de ser aceito em um grupo e o melhor grupo também.Ao dizer que existe um Nós e um Eles, a alienadora está imediatamente oferecendo à criança a chance de escolher a qual grupo deseja pertencer. Seu objetivo agora é alcançar obediência e lealdade absolutas.

- bombardeio de amor: Essa é uma tática pela qual a vítima é atraída para a alienadora pelo toque físico, compartilhando pensamentos íntimos e vínculos emocionais, tudo por meio de afeto excessivo e validação constante. Essas são apenas algumas maneiras pelas quais uma pessoa pode sofrer lavagem cerebral e, se você acha que é fácil trazê-la de volta ao estado normal, pode estar interessado em um estudo da neurocientista Kathleen Taylor. Depois de revisar os efeitos neurais das vítimas de lavagem cerebral, ela descobriu que elas tinham vias neurais mais rígidas do que outras. Isso pode sugerir que é por isso que as pessoas que sofreram lavagem cerebral acham difícil repensar sua situação depois de sofrerem lavagem cerebral.



Reprogramação do comportamento da criança

Tecnicamente este paragrafo se encaixa na lavagem cerebral. Aonde na lavagem cerebral eu tentei explicar as técnicas, aqui vamos falar sobre os objetivos e os resultados.

A criança está sendo ensinada de ver o parente alienado como o único causador de todo o seu sofrimento. Na hora de uma criança ser buscada pelo parente alienado, ela pode manifestar um medo intenso e genuína, pois realmente acredita que está sendo entregado ao diabo. Este comportamento fortalece a alienadora no seu pensamento que está fazendo o certo para o seu filho.

Aos poucos, a criança está ensinada de odiar o outro genitor.

Não está necessária de usar palavras para alcançar este objetivo. Pequenos sinais bastam, como levantar o sobrancelha no momento em que a criança começa falar do outro genitor.


Atos maléficos contra as crianças enfim de atingir o outro parente

Infelizmente há parentes alienadores quem estão a disposto de ferir o seu próprio filho enfim de atingir o parente alienado. Um exemplo extrema se aconteceu na Alemanha, aonde uma criança de 8 anos foi liberada pelos serviços sociais após de ficar aprisionada no próprio quarto pela mãe e os avôs maternas.

A única razão foi que a mãe não quis aceitar a guarda compartilhada qual o pai tinha obtida.

Outros atos maléficos podem ser a punição da criança por coisas que o parente alienado fez contra a alienadora, ou até em casos extremas o assassino das crianças enfim de atingir o ex-parceiro.



Ameaças

Ameaças tem várias formas diferentes. Eles podem ser diretas, por exemplo "se você ir para o seu pai, você não poderia mais brincar com sua amiga aqui em casa" Não toda criança seria susceptível à este tipo de ameaças, até mais durante a adolescência, quando uma criança começa revoltar contra os seus parentes. A ameaça imaginaria está muito mais terrível e eficiente pela criança, pois ela não sabe a que se referir Por ser uma ameaça vago, a alienadora deixa à imaginação da criança escolher o que a pior ameaça poderia ser por ele ou ela. Enquanto sendo enfrentada com os fatos, a alienadora sempre pode falar que nunca fez tais ameaças, qual tecnicamente esteja correta, pois a alienadora "apenas incentivou" a fantasia da criança em elaborar seus próprios pesadelos. Através de tais ameaças imaginarias, uma criança pode ser a primeira a acusar o parente alienado de todos os crueldades imaginárias ou de um comportamento totalmente inadequada.

Ameaças também podem ser feitos enfim de deixar uma criança calada através das autoridades. Por exemplo "você não quer que mamãe/papai vai preso, não é?"

Aqui a responsabilidade pela execução da ameaça está sendo colocada com a criança. Isso deixa a criança com uma pressão psicológica imensa.


A alienadora se descreve como a eterna vítima

Muitas vítimas nunca admitiram aos acusações de alienação parental. A culpa de toda a litigiosidade sempre estaria com o parente alienado, qual quer nada mais do que atingir a alienadora.

Muitas alienadores podem ser muito convincentes na apresentação da sua versão dos fatos, pois eles mesmos acreditam no que falam. A mais que eles se perdem nas mentiras, a mais difícil ficara para admitir os fatos.

A alienadora pode usar a desculpa que o ex-parceiro não está conseguindo aceitar o divórcio e tenta de atingir a alienadora em ato de vingança. Em breve, a alienadora está a vítima indefesa de uma inundação de atos injustas e cruéis pelo ex-parceiro.


Criar confusão e acusar o alienado dos próprios atos.

Um caso de alienação parental está muito difícil de julgar por sua complexidade e a confusão que envolve o casal litigioso. A alienadora faria de tudo para aumentar a confusão, enfim de postergar um possível julgamento em seu desfavor.

Uma estratégia para complicar a investigação dos fatos está em acusar o parente alienado dos próprios atos. Em um caso real, um pai que avisou a sua ex-esposa que os atos que cometia caberiam dentro da lei de alienação parental foi subsequentemente acusada de cometer atos de alienação parental no fórum. Assim a alienadora tentou impedir a possibilidade do pai de entrar com ação de alienação parental ele mesmo. O juiz veja um casal com alta litigiosidade e tentará primeiramente de acalmar o casal, enquanto a alienação em si está sendo negligenciada. Se ambos os parentes acusam um o outro pelos mesmos fatos, está altamente complicada de apurar a verdade.


Há inúmeras táticas e técnicas para cometer alienação parental. Nos tentamos de descrever apenas os mais frequentes com o objetivo de tornar eles mais reconhecíveis.


Fontes:

https://www.learning-mind.com/brainwashing-techniques/

Artigo: 8 técnicas de lavagem cerebral, acesso em 04/12/2022

https://psychlaw.us/brainwashing-techniques-used-by-alienating-parents/

Artigo: Técnicas de lavagem cerebral usadas por pais alienadores, acesso em 04/12/2022




 


143 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page